Desenvolvimento

Desfralde, quando é a hora?

E agora? Já é o momento? Como fazer? Pinico ou adaptador de vaso sanitário? Essas e outras mil perguntas surgem na cabeça das mamães no momento do desfralde; mas calma, estou aqui para ajudá-la a passar por esse momento com mais tranquilidade e segurança.

Retirar a fralda da criança exige muita paciência dos pais, pois umas levam poucas semanas, outras demoram meses para conseguir o controle de seus esfíncteres. Algumas pessoas nem imaginam que um simples uso do vaso sanitário possa ser um avanço tão significativo para a criança.

Um dos primeiros sinais de que seu bebê está crescendo e criando autonomia é a tal “hora de largar a fralda”. Trata-se de um marco em seu desenvolvimento, pois dá ao bebê independência, para a alegria ou desespero (dependendo do ponto de vista das mães).

Vamos lá, tentar esclarecer algumas dúvidas.

1- Quando devemos começar?

A partir dos 18 meses a criança começa a ter algum controle sobre seus esfíncteres. Isso permitirá que com o tempo seja possível controlar a eliminação do seu xixi e cocô. É, portanto, mais ou menos nessa idade (entre 18 e 24 meses) que podemos começar a pensar em dar início ao processo de desfralde. As meninas, em geral, largam as fraldas antes que os meninos.

2- Meu bebê está preparado?

Você vai perceber que a criança está preparada quando ela mostrar que está incomodada com alguma coisa, gesticulando ou falando que fez xixi ou cocô. Mostrar interesse ou curiosidade quando os pais estiverem no banheiro também pode significar certo preparo. Além disso, acordar frequentemente com a fralda seca é outro sinal de que ela está pronta.

3- Como fazer de maneira correta?

É muito importante respeitar o tempo da criança e ter muita paciência. Esse processo deve ocorrer sem interrupções. Tirar a fralda durante o dia só em casa, mas, quando for passear colocar a fralda novamente, pode confundir sua cabecinha, pois ela ainda não tem noção dessas diferenças e com isso demorar mais do que o esperado para conseguir o controle.
Uma ótima dica é anotar os horários que a criança faz cocô para levá-la ao banheiro sempre um pouco antes. Ela deve ser mantida de fralda até que consiga controlar a eliminação das fezes, ou seja, pedir para ser colocada no vaso. Após o controle do cocô, a criança deve permanecer sem fralda durante o dia e os pais devem colocá-la para fazer xixi a cada 2 horas, pois este é o tempo que demora para a bexiga encher. Iniciar o desfralde durante o verão pode facilitar, pois as roupas mais leves facilitam na hora da urgência em liberar os esfíncteres. Recomenda-se tirar primeiro as fraldas durante o dia, para depois, por volta dos 3 anos, dar início ao processo do desfralde noturno.

4- Como agir quando a criança faz nas calças?

Calma, não fique nervosa e nem dê bronca! A criança ainda está aprendendo e é normal escapar de vez em quando. Neste momento chame a criança e peça que ela ajude a limpar a calcinha ou a cueca jogando o cocô na privada e se for xixi peça que ela troque de roupa e se seque com papel higiênico. Aos poucos o número de escapes vai diminuir até chegar no resultado esperado.

5- A escola pode ajudar no processo do desfralde?

Geralmente, há muita exigência por parte dos pais em casa, o que acaba não acontecendo na escola. A escola sempre será uma aliada da família no processo do desfralde. Como lá todas as crianças estão passando pelo mesmo momento, ir ao banheiro se torna mais divertido e é visto com mais naturalidade (longe da ansiedade da família).

6- Como detectar se a criança tem algum problema no controle do xixi e cocô?

Caso a criança já tiver 3 ou 4 anos, estiver se desenvolvendo em várias outras áreas, adquirindo habilidades e mesmo assim não responde aos estímulos do processo de desfralde é importante procurar ajuda médica. Alguns problemas podem começar devido à ansiedade dos próprios pais. Perguntas como “Vamos fazer cocô?”, “Você quer fazer cocô?”, “Acho que a gente tem que ir fazer cocô…” essas falas em excesso podem acabar despertando na criança algum tipo de ansiedade causando angústia, que provavelmente causará um bloqueio.

No entanto, ficar todo momento falando mal do cocô da criança, alegando o mau cheiro, mesmo que ironicamente, pode levar aos mesmos resultados. As crianças não entendem ainda essas brincadeiras. Com base nisso, ela só quer fazer cocô escondido, na fralda, e fica segurando até não aguentar mais, o que pode ressecar as fezes e causar constipação.

Cada criança é única e reage de um jeito, cada uma tem seu tempo e a ansiedade dos pais, nessa fase, só pode atrapalhar.

0
0
0
s2sdefault